Sem categoria

Caros homens solteiros

“Este artigo foi originalmente publicado no The Matt Walsh Blog e foi reproduzido aqui com permissão do autor, traduzido e adaptado por Stael Pedrosa Metzger.”

Queridos homens solteiros,

Eu estava tendo uma conversa com um amigo recentemente. Ele é da minha idade, ele é solteiro, e é, eu posso atestar, um bom cara. Eu não o tinha visto há algum tempo, então eu perguntei sobre sua vida amorosa. Ele me disse que está atualmente “saindo” com alguém.

“O que você quer dizer?” Eu perguntei.

“Bem, nós saímos algumas vezes. Ela é ótima.”

“OK, então vocês saindo? Ela é sua namorada?”

“Não. Eu não penso assim. Mas estamos saindo. Estamos conversando.”

“Bem, é claro que vocês estão conversando um com o outro. Você fala com ela ao telefone? Você a vê sempre?”

“Não, enviamos mais mensagens de texto. Eu a vi poucas vezes desde que começamos a sair.”

“Então você só a conheceu recentemente?”

“Não, eu a conheço há um tempo, mas saímos apenas por algumas vezes.”

“Você não saía com ela antes?”

“Saía. Mas, quero dizer, desde que começamos… Desde que, ah, sei lá o quê…”

Deixei que a conversa se tornasse confusa, porque a confusão é o jogo atualmente. Todo mundo está confuso. Ser solteiro meio que está sendo confundido. Todo mundo está tão confuso que nem sabe que palavras usar para descrever seus relacionamentos. Uma pesquisa com solteiros feita um tempo atrás pelo USA today apontou algo que tem sido evidente há anos: ninguém tem ideia do que está acontecendo em suas próprias vidas amorosas. Perto de 70 por cento não sabe dizer se estão namorando ou só saindo com alguém.

Eu acho que é porque a maioria de vocês está muito ocupada “simplesmente saindo.”

O que é isso, gente? Quantos anos temos?

Passou de cortejo para namoro, e agora é “sair”. Às vezes, mesmo sair cheira muito a compromisso, caso em que “nos conhecendo” pode ser usado. E se conhecer soa muito sério, talvez nós vamos começar a ouvir “avizinhando-nos”. Essa é uma palavra que eu acabei de inventar, e significa que você e sua amiga do sexo feminino estão muitas vezes no mesmo local, mas de um modo geral, o que não significa que vocês estão realmente naquele local juntos de propósito.

Quando foi que os homens se tornaram tão temerosos em assumir um compromisso, em assumir a liderança, dizer o que querem, fazer planos de longo prazo, definir metas, perseguir, e falar sobre o futuro?

Estamos voltando a ser primatas, perdendo a capacidade de sequer discutir o nosso próprio comportamento utilizando palavras e frases. O homem solteiro americano está agora relegado a grunhidos e encolhe os ombros e responde “Qualquer coisa” e “você sabe” quando pressionado para ter uma conversa sobre seus hábitos de namoro. Ou seus hábitos de conversando com, saindo, avizinhamento. Ou o que quer que sejam seus hábitos, entende?

“Sair” é como descrevemos o que fazemos com os nossos amigos. É isso que você quer? Você quer que aquela mulher bonita seja sua amiga? Ou você prefere que é melhor diferenciar entre o seu relacionamento com ela e seu relacionamento com seu amigo Steve?

Eu sei que você pode dizer que consegue diferenciar muito bem entre os dois com base em quem você está saindo com, mas eu acho que isso é um problema. E, falando nisso, vamos relaxar com a questão do “ficar”.

Essa frase faz você soar como um adolescente. Homens adultos contando com as vagas, tímidas palavras de código de calouros do ensino médio. É embaraçoso.

Hora de acabarem com o absurdo, meus senhores. É hora de crescer. É hora de serem homens. Eu sei que este termo realmente ofende muita gente hoje em dia, mas verdadeiramente, companheiros, vamos nos tornar homens de verdade.

Confie em mim, eu não sou inocente. Eu sou casado agora, mas fiz parte deste nebuloso, indefinido cenário ficando-mas-não-namorando. Eu nunca gostei dele, porque ninguém gosta. Eu nunca encontrei qualquer felicidade nele, porque ninguém encontra. Mas eu era uma parte do problema. Eu era um varão fracote, com medo de compromissos significativos, com medo de ficar sozinho, medo de rejeição, medo do futuro, medo de ser traído, medo de ser amado. Apenas com medo, realmente. Com medo de tudo.

Então, um dia, eu conheci Alissa. Ela estava à procura de um homem adulto, e eu estava cansado de joguinhos. Nós dois estávamos exaustos. Então você sabe o que nós fizemos muito cedo na nossa relação?

Definimos nossos termos.

Fizemos nossas metas de maneira clara.

Abrimos-nos um com o outro.

Conversamos sobre o futuro.

Usamos palavras como “casamento”.

Estávamos claros e convictos em nossos propósitos. Eu tinha ambições para o nosso relacionamento. Ambições. Eu tinha uma ideia clara sobre o que eu estava fazendo e por isso que eu estava fazendo isso. Dá pra acreditar? Eu estava naquele relacionamento por um motivo. Eu queria que ele se tornasse algo.

Veja, eu tinha estado flutuando como detritos sem rumo através de um oceano de intenções nubladas e incerteza, até que eu cresci e percebi que o romance não é um jogo, e a maioria das mulheres não são patricinhas frívolas. Elas querem homens que sabem o que querem e não têm medo de verbalizar isso. E se elas não querem isso, então não são dignas de sua energia. Caia fora. Se ela ainda quer fingir que está no ensino médio, deixe-a viver essa fantasia com outra pessoa.

Com Alissa, as coisas eram muito claras desde o começo. Tivemos um relacionamento. Um relacionamento de verdade. Poucos meses depois, eu a pedi em casamento. Algumas pessoas esperam mais tempo, o que é bom. Todos têm seu próprio tempo. Mas eu garanto a você, apesar de sentimentos populares dizerem o contrário, não se leva uma década e meia para descobrir as coisas.

“Atenção, passageiros. Este é o seu capitão falando. Eu só quero dizer-lhes que, já que eu não quero que as coisas fiquem estranhas ou algo assim, então quero dizer que não estou pronto para ser o seu capitão no momento. Quero dizer, sim, eu escolhi pilotar um avião cheio de almas até 32.000 pés para o ar a uma velocidade de 970 quilômetros por hora, mas eu não quero que você pense que isso é tipo, oficial, sabe? Eu tenho as suas vidas em minhas mãos, mas eu não quero que isso seja levado a sério. Na verdade, olha, vou deixar as coisas claras. Eu tenho o meu paraquedas. Vocês não, mas isso é problema de vocês. Eu tenho o que eu preciso para sair dessa. Então, tchau. Aproveitem sua morte flamejante!”

Apenas, para essa analogia ficar melhor, o capitão mandaria tudo por mensagem de texto, porque ele não tem sequer a coragem de verbalizar isso.

Se você é um homem adulto, leve as coisas a sério. O que você está esperando? Você é um adulto agora. Está na hora. Seu recesso está sendo muito longo. Se você ainda não está pronto para compromissos amorosos, tudo bem, mas apenas fique de fora inteiramente no mesmo período.

Não importa o que qualquer um faz, ou diz, ou pensa; não importa o que dizemos a nós mesmos; não importa o que a sociedade insiste, relacionamentos românticos são sempre um negócio sério. Chame do que quiser – ficar, conversando, namorando – há sempre o coração de uma mulher envolvido. Isso significa que você tem uma responsabilidade, certo? Você tem um dever como ser humano, como um adulto, como um homem.

Ela está sendo vulnerável a você. É preciso honrar essa confiança, protegê-la. E se você não está à procura de qualquer coisa, além de sexo barato e mais um troféu de conquista sexual para pendurar na parede em seu estúdio, então você precisa protegê-la de si mesmo, porque você estará trazendo nada mais que decepção e caos em sua vida.

Ouça, há um monte de alegria e amor que você está perdendo quando você passa anos pulando de um opaco “ficar” para outro. Sei disso por experiência.

Se você está saindo com uma mulher e você sente que pode estar envolvido, diga a ela. Ligue para ela. Leve-a para um encontro. Diga as palavras: “Eu gostaria de sair com você”. Nenhuma ambiguidade. Planeje o encontro sozinho. As mulheres querem que você seja decisivo. Pare com o “e aí, o que a gente vai fazer hoje à noite?”. Assuma o controle. Busque-a às 7 da noite. Pague a refeição. Tenha uma conversa com ela. Vá a um boliche ou algo assim. Vá em algum lugar. Abra a porta para ela. Largue o celular. Abra-se para ela. Compartilhe suas ideias, seus sonhos, seus medos. Conheça-a. Conquiste-a. Invista no processo, tão assustador e inseguro quanto pode parecer. Corram o risco, senhores. Corram o risco pelo menos uma vez. Sejam intencionais. Sejam desejáveis. Sejam homens.

Você não iria entrar em uma entrevista de emprego e dizer ao entrevistador que você não tem certeza se você quer o trabalho, e você não quer nem falar sobre o trabalho, porque isso o assusta e dá-lhe uma dor de barriga, diria? Portanto, não faça isso com as mulheres que você está namorando, ou ficando, ou falando, ou o que quer que seja.

Nos velhos tempos, chamavam de cortejando. Era muito parecido com o namoro, mas com mais clareza e menos confusão. Talvez devêssemos voltar para essa estratégia.

Chega de ficar só saindo e ficar. Somos homens adultos. Elas são mulheres adultas. Elas merecem mais, e você também.

Matt Walsh

Matt Walsh, marido, pai e contador de verdades absolutas.

Website: http://themattwalshblog.com/

Tirado daqui ó: http://familia.com.br/casamento/caros-amigos-solteiros-e-hora-de-tornar-se-homem

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s