Sem categoria

Reflexões de um dia mau

Quando se faz um trabalho, o intuito é agradar a todos, sem exceção. Sim ilusão pura.

Hoje fiz a reforma de um restaurante com a mesma proposta de 2 anos e meio atrás: deixar o ambiente mais clean, agradável e aconchegante, para tanto, é pensado todos os tipos de itens para compor o ambiente. E até hoje, só recebi vários elogios, houveram alguns contratempos sim:

– elétrica sem finalizar;

  • uma infiltração inesperada;
  • uma elétrica sem finalizar;
  • uma mancha na pintura;
  • um descascado porque o tempo por aqui é muito úmido;

Entre tantas outras surpresas que uma reforma tem, mas que no final somando ao ambiente é irrisório.

E hoje, 2 cliente não mostraram satisfeitos com o meu trabalho. Quando foram questionados o que acharam do ambiente a resposta foi:

– vamos avaliar e depois dizemos.

Os dois clientes não são os diretores, eles são responsáveis por alguns itens no restaurante, e por alguns motivos (que não convém justificar – porque alguns itens pontuados acima tinham que terminar) deram esta resposta.

No almoço o diretor da empresa foi ao restaurante e simplesmente adorou tudo. Todas as pessoas que entravam no restaurante esboçaram um sorriso largo e satisfeito.

E eu fiquei mesmo pensando: porque aqueles dois não gostaram? Se até o diretor elogiou?

Achei várias respostas, para não pontuar nosso padrão.

Umas delas foi:

  • eles não estão bem, e logo refletiu sua insatisfação no restaurante;
  • eles não fizeram a parte deles, e pra não sobrar pra eles, não demonstraram satisfação ao final da obra;
  • são pessoas negativas que só olham os defeitos;

Até que eu parei.

Respirei fundo e disse a mim mesma:

A única resposta sensata é que eles realmente não gostaram. Eu não agradei e tão pouco cheguei perto do que agradaria a eles.

E pensando melhor, afirmei:

Eliz, nem sempre você vai agradar a todos. Talvez você encontrará mais pessoas que não gostem da forma como você cria os móveis.

Assim como eu não gosto de amarelo, e mesmo assim coloco nos projetos quando os clientes pedem, assim como você é única, o gosto, estilo das pessoas são únicos, e sinceramente?

O que conta é você dar o seu melhor, fazer o seu melhor, se alguém não gostar da finalização, a pessoa está no seu direito.

E sabe que isso não dói?

Sabe que isso firmou mais ainda minha vida profissional?

Porque saber lidar com a diversidade, e não deixar com que isso te desestimule é um grande desafio.

Perceber o outro é ótimo, te faz crescer.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s